Envelope laranja e branco Impressora laranja e branca Mapa do Site Tamanho da Fonte Ícone de + para aumentar a fonte Ícone de A para retornar à fonte padrão Ícone de + para diminuir a fonte Contraste Ícone habilitar contraste Ícone desabilitar contraste
Logo do Facebook Logo do Flickr Logo do Instagram
Logo do Conselho Regional de Psicologia

Pesquisa sobre atuação da Psicologia no campo da Execução Penal está disponível para acesso

Postado no dia 6 de janeiro de 2020, às 10:52

Documento elaborado por GT da APAF, em parceria com a UCB/DF, tem como objetivo difundir os resultados quantitativos e qualitativos da pesquisa sobre atuação da psicóloga(o) nesta área

O Conselho Federal de Psicologia (CFP) publica o relatório da “Atuação da (o) Psicóloga(o) no Campo da Execução Penal no Brasil”. O objetivo da publicação é difundir os resultados quantitativos e qualitativos da pesquisa sobre Atuação da(o) psicóloga(o) no campo da execução penal no Brasil, para contribuir na produção de orientações e posicionamentos institucionais do Sistema Conselhos de Psicologia.

A referida pesquisa, iniciada em 2018 e concluída este ano, foi realizada em parceria com a Universidade Católica de Brasília (UCB) e vem responder a uma das tarefas delegadas pela Assembleia de Políticas, da Administração e das Finanças (APAF) ao Grupo de Trabalho (GT) sobre Atuação da Psicologia no contexto do Sistema Prisional. O GT decidiu ampliar o público-alvo considerando também as(os) psicólogas(os) que atuam em outros órgãos ligados à execução penal, como no judiciário, no Ministério Público e na Defensoria Pública, permitindo assim um conhecimento mais amplo e detalhado, a partir do qual poderão ser definidos parâmetros e diretrizes para a atuação mais crítica e reflexiva da categoria e, portanto, mais qualificada.

O documento foi dividido em dois relatórios que se referem aos dois momentos da pesquisa: o primeiro, sobre a coleta de dados via pesquisa online; e o segundo referente à consolidação, de caráter qualitativo, do conteúdo das respostas abertas do questionário eletrônico.

Psicologia no campo da Execução Penal
A conselheira do CFP, Márcia Badaró, explica a importância deste relatório, bem como as diferenças que ele apresenta para o documento “Diretrizes para atuação e formação dos psicólogos do sistema prisional brasileiro”, publicado pela Autarquia em 2007 em parceria com o Ministério da Justiça e Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN).

“Este relatório faz todo um mapeamento desta prática das condições de trabalho, das questões éticas e técnicas do trabalho da psicóloga no campo da atuação penal. A última pesquisa que fizemos, em 2007, tratava apenas da psicóloga no Sistema Prisional, mas desta vez a gente ampliou, abrindo espaço para outras práticas da psicóloga no campo da execução penal no Sistema Judiciário, no Ministério Público, na Defensoria Pública, enfim, em outros campos. A Psicologia cresceu muito nessa área então abrimos espaços para outras áreas”, justifica Márcia Badaró.

A Conselheira do CFP espera que a pesquisa contribua para estudos da categoria, a fim de que sejam investidas ações importantes junto ao Judiciário, possibilitando “um diálogo efetivo, mais consistente diante do que a gente viu e do que a pesquisa apresentou, e que subsidie as Referências Técnicas para a atuação da psicóloga no Sistema Prisional, que ainda está sendo concluída”, aponta.

Leia a íntegra do relatório “Atuação da(o) Psicóloga(o) no Campo da Execução Penal no Brasil”.


Fonte: CFP. 

Os comentários não refletem a opinião do CRP-16 sobre o assunto e são de inteira responsabilidade de seu autor, que poderá responder à Justiça caso cometa injúria, calúnia, difamação ou agressão a outrem e a esta autarquia, conforme os Termos e Condições de Uso do site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *