Envelope laranja e branco Impressora laranja e branca Mapa do Site Tamanho da Fonte Ícone de + para aumentar a fonte Ícone de A para retornar à fonte padrão Ícone de + para diminuir a fonte Contraste Ícone habilitar contraste Ícone desabilitar contraste
Logo do Facebook Logo do Flickr Logo do Instagram
Logo do Conselho Regional de Psicologia

Em reunião no CRP-16, CFP reforça sua política de aproximação com as diferentes particularidades da categoria profissional em todo o País

Postado no dia 18 de janeiro de 2018, às 18:24

Ação do Federal dialoga com a política de interiorização do Regional capixaba, que é um dos pilares da atuação do V Plenário  

foto_1_cpf

Representantes do CFP em reunião com integrantes do V Plenário do CRP-16

A aproximação com as diferentes realidades da categoria profissional de todo o Brasil tem sido a tônica da gestão (2016-2019) do Conselho Federal de Psicologia (CFP). Em reunião com o CRP-16, realizada no dia 10 de janeiro, na sede do Conselho em Vitória, o CFP reafirmou essa proximidade, que dialoga com a política de interiorização do CRP-16, que é um dos pilares de atuação do V Plenário, que está à frente do Regional capixaba até 2019.

Além de se aproximar das demandas da categoria, o trabalho do CFP visa reforçar o alinhamento político (com os Plenários de cada Regional) e estrutural (com os funcionários dos Conselhos) das entidades que compõem o Sistema Conselhos de Psicologia, uma vez que estão previstas visitas em todos os 23 Regionais e nas quatro seções espalhadas pelo Brasil.

“É um projeto nosso de fazer reuniões descentralizadas da diretoria. Por isso, temos ido a vários regionais. Já tínhamos vindo aqui em janeiro (de 2017). E voltamos no sentido de reafirmar essa aproximação do Conselho Federal com o Regional. De possibilitar a realização e a condução dos trabalhos. E essa é a importância de estarmos juntos das/os conselheiras/os e das funcionárias/os, entendendo que o Regional é feito a partir da interlocução da gestão com sua equipe de funcionárias/os. E o CFP, no sentido de que reconhecer o Sistema (Conselhos de Psicologia), como um Sistema, precisa funcionar de forma integrada, tanto em Brasília quanto em cada Estado”, argumentou a vice-presidenta do CFP, Ana Sandra Fernandes Arcoverde Nóbrega, que esteve no dia 10, em Vitória junto do conselheiro-secretário da autarquia federal, Pedro Paulo Gastalho de Bicalho.

Para Bicalho, essa atuação leva o CFP a ir além “da normatização e construção de normas técnicas que definem limites técnicos e éticos da profissão”.

“É questão do CFP também produzir a articulação dos Conselhos Regionais para que de fato o Federal e os atuais 23 Regionais sejam um Sistema de Conselhos de Psicologia. Entendemos que não é possível fazer articulação de gabinete lá de Brasília. Entendemos que é fundamental estar com os Regionais, entender as realidades locais para que elas possam nos ajudar a pensar e a construir uma gestão para todo o Sistema”, afirmou o psicólogo.

Segundo ele, os encontros regimentais com os Conselhos Regionais, que acontecem duas vezes por ano, na Assembleia de Políticas, da Administração e das Finanças (Apaf), são poucos. “E por conta disso a ida aos Regionais nos ajuda na manutenção e na construção da gestão”.

“Quando encontramos os Conselhos Regionais em Brasília é muito diferente de quando nós visitamos o Estado, onde podemos compreender a realidade, as maiores dificuldades, os desafios e as particularidades de cada Regional, pois é importante que tenhamos essa compressão também”, reforçou a vice-presidenta do CFP.

Mais reuniões
De acordo com o CFP, os trabalhos de reuniões com os Regionais vão até o fim da atual gestão, em 2019. No dia 11 de janeiro, a vice-presidenta e o conselheiro-secretário foram para o CRP do Amazonas. No dia seguinte, foram à seção de Rondônia (vinculada ao Regional com sede em Manaus).

A previsão do Federal é de fazer visitas em todos os Estados, ainda neste ano, para se aproximar dos lugares em que as/os psicólogas/os estão, e o exercício da Psicologia está sendo executado e construído.

Luta contra a agenda de retrocessos
Estratégias de enfrentamentos da agenda política conservadora nacional, como os ataques à Resolução CFP 1/1999 e os retrocessos na política nacional de saúde mental, também são discutidos nas reuniões do CFP com os Regionais.

“Escutamos as realidades locais (dessas questões) para pensarmos estratégias junto aos Conselhos Regionais para esse enfrentamento. Isso é feito tanto regionalmente, a partir de cada Estado, como a partir da junção dos Conselhos, como um Sistema mesmo. Buscamos auxiliar no que é possível”, frisou a vice-presidenta do CFP, Ana Sandra Fernandes Arcoverde Nóbrega.

IMG-20180110-WA0020 (1)

CFP se reúne com funcionárias/os do Regional capixaba

Interiorização do CRP-16
Se o CFP tem se aproximado da realidade de cada um dos Regionais, fazendo reuniões ao longo da sua gestão, a política do V Plenário segue nessa lógica.

Em 2017, diversas ações foram realizadas nesse sentido. São elas: a primeira entrega da carteira profissional fora da capital, em Nova Venécia, no mês de março; participação do Conselho no I Seminário de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto de Colatina, em agosto; participação em eventos do Dia do Psicólogo, em Cachoeiro de Itapemirim, em setembro; reunião com profissionais da Assistência Social, em Santa Maria do Jetibá, em outubro; além de atividades de formação e seminários, realizadas em Colatina, em novembro e dezembro.

“Levamos o Conselho a esses encontros tendo em vista a necessidade de alcançar as/os psicólogas/os do interior, levando uma fala do CRP-16 sobre as questões éticas e políticas da atuação profissional para termos o máximo de proximidade e de escuta com a nossa categoria”, pontuou o presidente do CRP-16, Diemerson Saquetto.

Os comentários não refletem a opinião do CRP-16 sobre o assunto e são de inteira responsabilidade de seu autor, que poderá responder à Justiça caso cometa injúria, calúnia, difamação ou agressão a outrem e a esta autarquia, conforme os Termos e Condições de Uso do site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *