Envelope laranja e branco Impressora laranja e branca Mapa do Site Tamanho da Fonte Ícone de + para aumentar a fonte Ícone de A para retornar à fonte padrão Ícone de + para diminuir a fonte Contraste Ícone habilitar contraste Ícone desabilitar contraste
Logo do Facebook Logo do Flickr Logo do Instagram
Logo do Conselho Regional de Psicologia

Luta do CRP-16 contra projeto sobre “cura gay” é destaque na imprensa

Postado no dia 27 de junho de 2013, às 18:23

Clique aqui e leia o artigo do conselheiro Felipe Kosloski, publicado em A Gazeta. Vale destacar que o PDC 234 já perde força no Congresso

O CRP-16 tem sempre se pautado em defesa da Resolução nº 01/1999 do Conselho Federal de Psicologia (CFP), que estabelece normas de atuação para as(os) psicólogas(os) em relação à questão da orientação sexual.

Por isso, o Conselho tem buscado sempre alertar em relação ao Projeto de Decreto do Legislativo (PDC) 234/2011, conhecido como projeto sobre a “cura gay”, seja em seus meios de comunicação, seja também pelos canais de imprensa.

No dia 25 de junho, o jornal A Gazeta, publicou na página 21, o artigo Orientação sexual e direitos humanos, assinado pelo conselheiro do CRP-16, Felipe Rafael Kosloski. Clique aqui para ler o artigo.

Após a aprovação do PDC 234 pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias, em 18 de junho, o jornal Século Diário expôs o posicionamento do CRP-16, em matéria sobre o assunto. Leia a notícia.

E em maio, no dia 29, a coluna Victor Hugo, de A Gazeta, veiculou uma nota sobre a participação do Conselho no VIII Congresso Nacional da Psicologia, alertando que a discussão em torno do PDC estaria na pauta do CNP. Confira o texto:

Causa gay
Os nove delegados capixabas que participarão do 8º Congresso Nacional da Psicologia, de 30 de maio a 2 de junho, em Brasília, vão levar uma moção de repúdio contra a chamada cura gay.

Perde força
Se por um lado o PL do Ato Médico corre grandes riscos de ser sancionado, por outro lado a Psicologia, os militantes dos direitos humanos e a sociedade civil organizada devem obter uma importante conquista relacionada ao Projeto de Decreto do Legislativo (PDC) 234/2011, conhecido como projeto sobre a “cura gay”.

É que após a aprovação do PDC 234/2011 pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, o que se vê na imprensa é o enfraquecimento de uma possível homologação da proposta, que visa sustar artigos da Resolução 01/1999 do Conselho Federal de Psicologia (CFP).

Microblog
No dia 26 de junho, o presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Municipal, o pastor Marco Feliciano, fez as seguintes postagens, em seu Twitter:

“5) o PSOL, o movimento GLBTT, parte da mídia, rotularam o PDC 234 com 1 apelido podre, aproveitam do momento para + uma vez me perseguirem; 6) se movimentam com o apoio do presidente @HenriqueEAlves para transformarem o plenário na próxima semana num Circo!” (sic).

Ele alegou ainda que já sabia que o projeto não passaria na Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania (CCJC) e na Comissão de Seguridade Social.

“12) Covardia! Nós sempre soubemos q este projeto não passaria, pois o PT e outros tem maior número e derrubariam o projeto na Seguridade e; 13) na CCJC pois eles tem uma maioria esmagadora, mas Pra eles não basta derrubar um projeto de um evangélico, Pra eles é preciso humilhar!” (sic).

As postagens do deputado em seu microblog foram repercutidas pela imprensa no dia 27 de junho, indicando que devido ao clamor popular das manifestações de ruas, o presidente da Câmara Federal poderia levar o projeto para ser derrubado no Plenário, antes mesmos da tramitação nas duas comissões, atendendo assim um dos pontos de pauta da grande maioria dos manifestantes do País.

Outra informação é de que o presidente da Comissão de Seguridade Social da Câmara dos Deputados, deputado Doutor Rosinha, é contra o PDC 234/2011, e que a tramitação da proposta na CSS poderia ficar para o mês de agosto.

Os comentários não refletem a opinião do CRP-16 sobre o assunto e são de inteira responsabilidade de seu autor, que poderá responder à Justiça caso cometa injúria, calúnia, difamação ou agressão a outrem e a esta autarquia, conforme os Termos e Condições de Uso do site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *