Envelope laranja e branco Impressora laranja e branca Mapa do Site Tamanho da Fonte Ícone de + para aumentar a fonte Ícone de A para retornar à fonte padrão Ícone de + para diminuir a fonte Contraste Ícone habilitar contraste Ícone desabilitar contraste
Logo do Facebook Logo do Flickr Logo do Instagram
Logo do Conselho Regional de Psicologia

CRP-16 compõe Comitê de Prevenção à Tortura

Postado no dia 20 de novembro de 2013, às 15:37

Posse foi realizada no Palácio Anchieta, em Vitória

Na solenidade também foi aprovada a Comissão de Erradicação do Trabalho Escravo

Na solenidade também foi aprovada a Comissão de Erradicação do Trabalho Escravo

O CRP-16 foi empossado como representante do Comitê Estadual de Prevenção e Erradicação da Tortura no Espírito Santo (Cepet/ES). A posse foi realizada no Palácio Anchieta, em Vitória, na terça-feira, 19 de novembro.

CRP-16 empossado! Conselheira Andréa toma posse no Comitê

CRP-16 empossado! Conselheira Andréa toma posse no Comitê

Na solenidade, o governador Renato Casagrande aprovou a criação do Cepet e também da Comissão Estadual de Erradicação do Trabalho Escravo (Coetrae), órgãos que podem colaborar na luta em defesa dos direitos humanos em todo o Estado.

Posse

A vice-presidente do CRP-16, conselheira Andréa Nascimento, representou o Conselho na cerimônia de posse. Ela foi empossada como membro suplente do Cepet-ES. O membro titular é a também conselheira do CRP-16 Juliana Figueiredo, que preside a Comissão de Direitos Humanos do Conselho.

Atuação

O Cepet recomendará estudos e pesquisas e dará apoiar à criação de comitês ou comissões municipais com o mesmo fim, voltadas para o combate à tortura. O Cepet coordenará o sistema estadual de prevenção à tortura e acompanhará as ações relativas a esse enfrentamento.

Já o Coetrae fará a elaboração do Plano Estadual de Erradicação do Trabalho Escravo no Estado. Além de propor estudos e análises contra o trabalho escravo no Espírito Santo.

Os comentários não refletem a opinião do CRP-16 sobre o assunto e são de inteira responsabilidade de seu autor, que poderá responder à Justiça caso cometa injúria, calúnia, difamação ou agressão a outrem e a esta autarquia, conforme os Termos e Condições de Uso do site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *