Envelope laranja e branco Impressora laranja e branca Mapa do Site Tamanho da Fonte Ícone de + para aumentar a fonte Ícone de A para retornar à fonte padrão Ícone de + para diminuir a fonte Contraste Ícone habilitar contraste Ícone desabilitar contraste
Logo do Facebook Logo do Flickr Logo do Instagram
Logo do Conselho Regional de Psicologia

Ato Médico

Postado no dia 7 de março de 2014, às 15:39

CFP participa de reunião e aponta problemas em novo projeto

O novo Projeto de Lei do Ato Médico (PL nº 6126) foi tema de reunião, nesta quinta-feira (6), entre representantes da Frente dos Conselhos Profissionais da Área da Saúde (Fcpas) e o presidente da Comissão de Seguridade Social (CSSF) e família, deputado Amauri Teixeira (PT-BA).

O Conselho Federal de Psicologia, integrante do Fcpas, esteve presente, representado pelo vice-presidente Rogério Oliveira, que apontou os problemas que o projeto traz à profissão. A principal consequência para a Psicologia é que as (os) psicólogas (os) perderiam a possibilidade de diagnosticar sobre saúde e fazer prescrição terapêutica.

Além disso, a atual gestão do CFP, representada por seu vice-presidente, ressaltou que o novo PL nº 6126 produz um impacto negativo para a saúde da população brasileira, contrariando acima de tudo os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS).

O CFP, portanto, continua contrário à aprovação deste novo PL do Ato Médico, que altera a Lei nº 12.842, de 10 de julho de 2013, que dispõe sobre o exercício da Medicina. A autarquia defende a rejeição da matéria e a atuação da categoria sem interferência de outra profissão.

Atualmente, o PL está na CSSF da Câmara dos Deputados aguardando a indicação de relator. O presidente da Comissão conversou com os profissionais presentes e prometeu analisar os casos levantados durante o encontro.

Além da Psicologia, participaram representantes da Enfermagem, da Nutrição, da Fonoaudiologia, da Biomedicina e da Fisioterapia e Terapia Ocupacional.

Fonte: Conselho Federal de Psicologia.

Os comentários não refletem a opinião do CRP-16 sobre o assunto e são de inteira responsabilidade de seu autor, que poderá responder à Justiça caso cometa injúria, calúnia, difamação ou agressão a outrem e a esta autarquia, conforme os Termos e Condições de Uso do site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *