Envelope laranja e branco Impressora laranja e branca Mapa do Site Tamanho da Fonte Ícone de + para aumentar a fonte Ícone de A para retornar à fonte padrão Ícone de + para diminuir a fonte Contraste Ícone habilitar contraste Ícone desabilitar contraste
Logo do Facebook Logo do Flickr Logo do Instagram
Logo do Conselho Regional de Psicologia

“Psicologia, Religião e Laicidade: uma discussão irremediável”!

Postado no dia 2 de julho de 2021, às 21:54

“Psicologia, Religião e Laicidade: um discussão irremediável” foi a temática escolhida pelo Grupo de Trabalho (GT) Psicologia, Laicidade e Diversidade Religiosa do CRP-16 para fechar as reuniões realizadas online no primeiro semestre de 2021.

A reunião do GT aconteceu no dia 25 de junho, trazendo o psicólogo e doutorando em Psicologia Social, Allan Felipe S. de Freitas (CRP 05/49781). A mediação foi do psicólogo e doutor em Psicologia, Diemerson Saquetto (CRP-16 2671), colaborador do GT.

“Qual então seria a relação da Psicologia com a religião? A religião é um excelente objeto de estudo da Psicologia. Não podemos, enquanto psicólogos, desprezar a importância da religião. Sua influência é nítida”, afirmou Freitas.

Ele também salientou acerca da importância da religiosidade. “Quando a gente fala de religiosidade, a gente fala de um tema que constitui o sujeito, que é sagrado. Quando vou lidar com o sagrado do outro, tem uma passagem do Antigo Testamento, que diz que Moises precisa tirar as sandálias para pisar numa terra santa. Precisamos fazer isso: tirar as sandálias para pisar o sagrado do outro”, argumentou.

Sobre a relação profissional com religião, Freitas cravou: “A religião senta no divã, sim. Mas no movimento do paciente para o terapeuta. No movimento do terapeuta para o paciente, o código de ética é bem claro em relação a isso”.

Debate. Durante o debate, foi levantada a questão de como a Psicologia e a Religião acabam tendo conexões mesmo com temas que, à primeira vista, parecem não ter relação com as duas, como por exemplo o porte de armas. Ao se pensar na política, quando um governo conservador e próximo a grupos religiosos majoritários pode ser a favor do porte de armas, passa a ser essencial para a Psicologia enveredar por essas questões em disputa na conjuntura atual. “A gente não pode de maneira nenhuma desconsiderar que boa parte das disputas, das discussões que envolvem a Psicologia; do porte de armas, abstinência na dependência química; passa pela religião e pelo pensamento religioso”.

Registro dos debates do GT
O mediador do debate, psicólogo Diemerson Saquetto, revelou que os debates do GT Psicologia, Laicidade e Diversidade Religiosa serão sistematizados e disponibilizados para a categoria profissional. Para Saquetto, a Psicologia não pode se furtar deste debate que vem sido realizado pelo Sistema Conselhos. É como diz o tema desta reunião: “Psicologia, Religião e Laicidade: um discussão irremediável”.

Abaixo, o cartão virtual de convocação para a reunião. 

 

Imagem

Os comentários não refletem a opinião do CRP-16 sobre o assunto e são de inteira responsabilidade de seu autor, que poderá responder à Justiça caso cometa injúria, calúnia, difamação ou agressão a outrem e a esta autarquia, conforme os Termos e Condições de Uso do site.