Envelope laranja e branco Impressora laranja e branca Mapa do Site Tamanho da Fonte Ícone de + para aumentar a fonte Ícone de A para retornar à fonte padrão Ícone de + para diminuir a fonte Contraste Ícone habilitar contraste Ícone desabilitar contraste
Logo do Facebook Logo do Flickr Logo do Instagram
Logo do Conselho Regional de Psicologia

Confira a Carta Aberta à Rodosol e à ARSP solicitando a instalação de redes de proteção na Terceira Ponte

Postado no dia 2 de setembro de 2016, às 12:12

Documento é assinado pelo CRP-16 e outras entidades. Conselho divulga o texto dentro do mês de prevenção ao suicídio: Setembro Amarelo. Mobilização conta ainda com uma petição pública. Veja os detalhes  

O Conselho Regional de Psicologia da 16ª Região (CRP-16) é um dos apoiadores da campanha Setembro Amarelo de prevenção ao suicídio. E neste ano, além de manifestar o seu apoio, o CRP-16 divulga a Carta Aberta à Rodosol e à Agência de Regulação de Serviços Públicos do Espírito Santo (Arsp).

O texto, assinado pelo Conselho e por outras entidades, solicita a instalação de proteção na Terceira Ponte, cartão postal do Estado, como forma de reduzir os casos de atentados contra a própria vida naquele local.

Além da carta, o CRP-16 lançou uma petição pública, na qual a sociedade civil organizada, o poder público e a população em geral podem se manifestar em favor da instalação dessa proteção, diante de sua eficácia comprovada na redução de casos de suicídio em outros países do mundo.

Clique aqui e assine a petição.

Confira abaixo a carta.

Carta Aberta à Rodosol e à Agência de Regulação de Serviços Públicos do Espírito Santo (ARSP)

Prezados diretores da Rodosol e da ARSP,

Vimos por meio desta convidá-los a unir-se a nós no comprometimento em salvar vidas. É de conhecimento público que a empresa Rodosol e o órgão governamental ARSP são os responsáveis pela manutenção da Ponte Deputado Darcy Castello de Mendonça – Terceira Ponte que liga a capital capixaba ao continente, um dos mais deslumbrantes cartões postais do estado do Espírito Santo, e uma das obras urbanas mais belas do Brasil.

Acreditamos que a manutenção da Terceira Ponte, firmada de forma séria e responsável a partir de contrato entre o Governo do Estado e a concessionária, seja, de fato, uma tarefa desafiadora. Para além de uma manutenção puramente estrutural, acreditamos que um dos maiores desafios desta parceria reside no comprometimento da manutenção da segurança de todos que diariamente por ali transitam. A Terceira Ponte infelizmente tornou-se um dos locais escolhidos para que centenas de pessoas atentem contra suas próprias vidas. Ainda que os veículos midiáticos por motivos éticos não divulguem sobre a ocorrência de tentativas de suicídio no local, tais informações circulam livremente nas redes sociais incluindo vídeos, fotografias e comentários alcançando milhares de pessoas, de modo que a própria imagem deste nosso cartão postal já se encontra associada às tragédias ali ocorridas.

Sabemos que a Rodosol já divulga o contato do Centro de Valorização da Vida (CVV) próximo ao pedágio informando o telefone desta entidade que, com apoio de cerca de 70 voluntários, atua para evitar casos de suicídio em todo o Espírito Santo. Acreditamos que esta seja uma ação louvável e importante no início da prevenção do suicídio. No entanto, há ainda muito a fazer visto que tal divulgação não garante a interrupção de uma tentativa de suicídio na Terceira Ponte.

Pesquisas recentes sobre a psicologia do comportamento suicida têm mostrado que, além dos sentimentos de fracasso, derrota e aprisionamento vivenciados por aqueles que pensam em tirar a própria vida, um componente psicofisiológico crucial é a impulsividade. O fator impulsividade permite que pessoas em crises suicidas se engajem em tentativas de suicídio com maior agilidade quando há um método de morte facilmente acessível. A partir desses achados científicos, uma das principais recomendações da Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio (IASP) e da Organização Mundial de Saúde (OMS) trata-se da redução de acesso aos meios de execução de suicídio.

Uma análise aprofundada dos estudos internacionais sobre a eficácia da instalação de proteções em pontes, viadutos e pontos de elevação natural na prevenção do suicídio [1] mostra evidências de que a restrição do acesso aos meios pelos quais as pessoas tentam suicídio – especialmente pela instalação de proteções – reduz o número de mortes por suicídio não somente no local, mas também na cidade ou região em que tal local-foco se encontra. Esses estudos mostram que a instalação de proteções contra tentativas de suicídio por pulo tende a ser mais eficaz quando comparada a outros métodos de prevenção ao suicídio, uma vez que a interrupção imediata do comportamento suicida oportuniza a intervenção e a assistência.

Na cidade de San Francisco, nos Estados Unidos, por exemplo, a ponte Golden Gate Bridge já está recebendo as redes de proteção. O trabalho deve ser concluído em 2018, com proteções de seis metros de largura em cada lado da ponte, num investimento de mais de R$ 167 milhões. A ponte na Califórnia registra “desde sua inauguração, em 1937, mais de 1.600 suicídios”, segundo a The Bridge Rail Foundation, instituição dedicada à luta pelo fim de mortes por suicídio na Golden Gate Bridge [2].

Para além daqueles que morrem, o suicídio afeta milhares de pessoas incluindo indivíduos que perderam seus entes queridos, profissionais e familiares que se esforçam no cuidado daqueles que sobreviveram a uma tentativa de suicídio, pessoas que pensam incessantemente em tirar a própria vida, além do impacto desse problema nas comunidades locais e consequentemente para os serviços públicos de saúde.

Acreditamos que o compromisso com a manutenção da vida seja um compromisso do poder público, da iniciativa privada e da população geral. Assim como tem sido realizado na Golden Gate Bridge e em outras pontes ao redor do mundo, a instalação de proteções pode contribuir muito para evitar que novas tentativas ou mais casos de suicídio ocorram na Terceira Ponte. Certo de que teremos a compreensão da concessionária e da agência reguladora em nosso pleito, ficamos na expectativa do comprometimento da empresa e do órgão governamental para atenuarmos o trágico quadro de mais de 12 mil casos de suicídio por ano no Brasil. Portanto, solicitamos que sejam instaladas redes de proteção na Terceira Ponte, a fim de que este cartão-postal seja lembrado pela sua beleza e não pelas tragédias que ali ocorrem periodicamente.

Assinam esta Carta:
Conselho Regional de Psicologia da 16ª Região – Espírito Santo
Conselho Regional de Medicina do Estado do Espírito Santo
Conselho Regional de Serviço Social da 17ª Região – Espírito Santo
Escola Lacaniana de Psicanálise de Vitória – Espírito Santo
Escola Brasileira de Psicanálise – Delegação Espírito Santo
Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e da Associação Psiquiátrica do Espírito Santo (APES)

Referência:
[1] Pirkis, J., Spittal, M. J., Cox, G., Robinson, J., Cheung, Y. T. D., & Studdert, D. (2013). The effectiveness of structural interventions at suicide hotspots: A meta-analysis. International Journal of Epidemiology, 42, 541-548.
[2] Informações disponíveis em: http://goldengatebridge.org

Os comentários não refletem a opinião do CRP-16 sobre o assunto e são de inteira responsabilidade de seu autor, que poderá responder à Justiça caso cometa injúria, calúnia, difamação ou agressão a outrem e a esta autarquia, conforme os Termos e Condições de Uso do site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *